ENTENDA COMO VOCÊ PODE AUTOMATIZAR SUA EMPRESA DE FORMA SIMPLES!

Empreender é uma tarefa exaustiva e, se você não souber como fazer, pode ir à falência logo no início do negócio. Para que isso não aconteça, separamos 4 dicas sobre como montar uma lanchonete que farão você passar longe de qualquer crise. Conheça recursos tecnológicos feitos para salvar a vida dos empreendedores do ramo de alimentos e bebidas e alcance o sucesso que almeja muito antes do que imagina!

DIGA NÃO À COMANDA DE PAPEL

Se você está buscando por dicas sobre como montar uma lanchonete e acha que a comanda de papel é o modelo certo para você, saiba que esse não é mais um método seguro, rentável e adequado para quem quer empreender.

A comanda de papel é conhecida por ser barata e de fácil acesso, no entanto, ela não é um bom recurso para quem tem a intenção de lucrar e atender bem. Confira algumas desvantagens que a comanda de papel traz ao seu negócio e que você certamente vai querer evitar para não fracassar logo de cara:

– Ela dá margem a erros

Embora seja barata, a comanda de papel deixa seu negócio suscetível aos erros humanos, então, o barato acaba saindo caro. Imagine que você vende um sanduíche por R$15,00 e, por um erro de anotação do garçom, seu cliente recebe o pedido errado e devolve o lanche. Em um dia, seu prejuízo é de apenas R$15,00, mas, em um ano, isso equivale a R$5.475,00. Vale a pena ter esse prejuízo?

– Reduz a fluidez do atendimento 

Outra desvantagem da comanda de papel para você que está na missão “como montar uma lanchonete” é que ela é pouco prática, reduzindo a agilidade de seu atendimento. Se a sua lanchonete trabalha no esquema fast food com atendimento balcão, por exemplo, a comanda de papel gerará longas filas. E, se em sua lanchonete os clientes são atendidos pelo garçom na mesa, a capacidade de atendimento do garçom será reduzida e a correria para o terminal a fim de entregar a comanda resultará em uma demora na entrega do prato – algo bem “anti fast food”.

– Permite furos no caixa

 Esse é um assunto delicado, mas, como empreendedor, você precisa considerá-lo. Se você está buscando informações sobre como montar uma lanchonete, esteja ciente que, aonde há dinheiro, há possibilidade de fraude e os processos manuais favorecem esses furos.

AUTOMATIZE O CONTROLE DE SUAS FINANÇAS

 Para ter suas finanças na palma da mão e saber quanto sua lanchonete lucra com exatidão, é preciso ser extremamente cuidadoso, metódico e atento. Se você está na correria e não consegue dar essa atenção ao seu fluxo de caixa, saiba que a automação pode ser uma grande aliada.

Não há como montar uma lanchonete em meio ao caos financeiro, e com um fluxo de caixa integrado ao seu sistema para lanchonete, esse caos reduz drasticamente. Em lugar de utilizar uma planilha e dedicar todo o seu tempo para alimentá-la com dados, você terá metade desse trabalho executado pelo sistema, tendo que inserir apenas alguns dados manualmente. Assim, você será capaz de projetar para períodos futuros todas as entradas e saídas de seu negócio, sabendo exatamente qual será a perspectiva financeira para os próximos períodos.

DINAMIZE O DELIVERY COM O CARDÁPIO DIGITAL

Outro recurso providencial para melhorar o fluxo de atendimento de sua lanchonete é o cardápio digital. Através dele, quem tem delivery possibilita ao cliente a opções do pedido online, mas não apenas isso. Além de ofertar ao cliente uma nova forma de pedir – a que mais cresce no mundo – o gestor tem a vantagem de ter todos os pedidos recebidos através do cardápio digital integrados em seu sistema para lanchonete.

A vantagem desse recurso, é que a integração entre cardápio digital e sistema evitam que um atendente tenha que registrar o pedido no computador, por exemplo. Além disso, todos os dados do cliente armazenados no sistema podem ser usados para a implementação de ações de marketing que, futuramente, podem ajudá-lo a vender mais e melhor!

Mais vantagens do cardápio digital:

  • Possibilita da redução de funcionários de sua lanchonete;

  • Através dele, é possível alterar preços sem que haja preocupação com novas impressões;

  • Você pode programar o recebimento de seus pedidos delivery pré-determinando um perímetro de atuação.

NÃO ABRA SEM POSSIBILITAR O AUTOATENDIMENTO! 

Por fim, não dá pra falar em automação em mencionar o autoatendimento – um grande diferencial quando o assunto é lanchonete. Se você trabalha com vendas no balcão e sofre com as filas sem fim que esse tipo de atendimento ocasiona; se seus clientes tem perfil moderno e jovem e se você quer reduzir o número de atendentes do seu estabelecimento, o autoatendimento é o caminho ideal!

O autoatendimento também é feito através do cardápio digital, mas desta vez, dentro de seu estabelecimento. Dessa forma, o cliente faz o pedido através do smartphone e só precisa dirigir-se ao balcão para retirá-lo.

– Porque devo começar a atender oferecendo a opção do autoatendimento? 

Há diversas razões para começar a atender oferecendo ao cliente a opção do autoatendimento, mas a principal delas é bem simples: desbancar a concorrência. No Brasil, o autoatendimento não é popular, por isso, abrir um negócio com essa opção é um grande diferencial perante a concorrência.

As outras razões já foram mencionadas. Com o autoatendimento você pode reduzir o número de funcionários de sua lanchonete (ou realocá-los, caso não queria um déficit na equipe), atrai clientes que não vivem sem a tecnologia e muito mais!

Se interessou e quer realizar a automação de sua Lanchonete/Bar/Restaurante ? Entre contato conosco clicando aqui!

SAIBA COMO ESCOLHER UM BOM SOFTWARE DE GESTÃO PARA LOJAS!

Não importa se estamos falando de um pequeno negócio, como um simples quiosque na praia, ou uma multinacional. Independentemente do tamanho da empresa, o fato é que a tecnologia deve ser encarada como uma parte integrante dos processos internos. Só assim é possível garantir a competitividade em um mercado cada vez mais agressivo.

Que a tecnologia é indispensável, todo empreendedor que se leve a sério já sabe, mas a pergunta que fica é a seguinte: Como escolher um bom software de gestão para lojas? Neste post vamos responder essa questão, então continue acompanhando para que você faça a melhor escolha possível na sua empresa!

Avalie o preço

É claro que o preço é um dos primeiros pontos que o gestor procura levar em consideração quando pretende adotar um software de gestão para lojas. Acontece que, embora esse seja, sim, um fator que deve ser levado em conta, o fato é que devemos tomar cuidado para avaliar o custo-benefício do produto, e não apenas o preço.

Existem muitos elefantes brancos no mercado, desenhados para grandes empresas e repaginados para os pequenos negócios, por exemplo. Ou, ainda, softwares genéricos que procuram atender todo o tipo de empresa. O ideal é buscar uma solução que atenda justamente as suas necessidades para, só então, pensar no preço. Esse é o assunto que veremos em seguida.

Pense nas funcionalidades

Nossa próxima dica para que você faça uma boa escolha é avaliar as funcionalidades, fugindo dos já mencionados elefantes brancos. Afinal de contas, a adoção de um software de gestão tem como principal objetivo sanar problemas ligados aos processos internos da sua empresa, certo? Não existe uma resposta genérica que atenda todas as necessidades.

Por isso, o varejista deve sempre procurar uma solução que contemple a sua área de atuação, como foco na gestão financeira, na gestão de estoques e também na gestão da clientela. Assim, pode otimizar todos os processos internos e reverter tudo isso em qualidade.

Busque a segurança

É inegável que os softwares de gestão armazenam diariamente informações relevantes sobre o seu negócio, tanto do ponto de vista financeiro quanto do ponto de vista estratégico. Por isso, o gestor precisa controlar o fluxo de informações internas.

Ao avaliar qual será o tipo de solução que você adotará na sua empresa, portanto, descubra quais são as opções de segurança oferecidas pela empresa fornecedora. Quanto melhor for o controle do acesso, por exemplo, mais seguro será o software escolhido para a sua empresa.

Considere a integração

Por fim, é fundamental que o software de gestão para lojas escolhido para a sua empresa facilite o fluxo de dados internamente, permitindo a integração entre os mais diversos setores da organização. Assim, todos trabalham com os mesmos dados, o que permite a coesão durante a tomada de decisão na empresa.

É importante destacar que a integração é fundamental para que as decisões sejam tomadas rapidamente. Por isso, um software online, por exemplo, é uma excelente pedida, já que é possível coletar os dados em tempo real de qualquer lugar.

Pensando em adotar um software de gestão para lojas? Então entre no nosso site e conheça as nossas soluções!

A IMPORTÂNCIA DE MANTER O CADASTRO DE CLIENTES ATUALIZADO

Muitas vezes, esse é um item deixado de lado, mas não deveria. O cadastro de clientes é uma peça fundamental para melhorar as vendas de sua empresa.

“Por que devo manter um cadastro de clientes?” – Você me pergunta. Tem empresa que registra uma centena de informações do cliente, mas usa para nada.

Era melhor não ter formulário!

A verdade é que muitas vezes, esses cadastros são usados de forma errada (quando são usados)!

Vou mostrar os principais motivos para manter um cadastro de clientes eficiente. Mas vamos começar pelo modelo do formulário, o item mais banal, mas que interfere totalmente no processo de relacionamento.

Comece pelos dados principais

Se você está começando a cadastrar seus clientes, esqueça aqueles formulários gigantes! Comece com os dados principais do cliente:

  • nome

  • telefone

  • email

  • data de aniversário

  • endereço

Muitas vezes, você nem precisa do endereço. Basta o email ou telefone dele para mantê-lo informado das novidades de sua empresa.

Formulários gigantes acabam dificultando o preenchimento e podem deixar o cliente sem paciência (se ele for preencher).

Dica: não peça informações que não sejam essenciais para manter um contato inicial.

Avise os clientes das novidades

Com essas informações em mãos, você consegue mantê-los informados sobre as novidades de sua empresa, colher feedbacks sobre os produtos / serviços e saber quais são seus melhores clientes.

Tem cliente que compra todo mês, em pequenas quantidades, mas sempre. Tem também aqueles que compram uma vez no ano, mas quando isso acontece, o valor da compra é bem alto. Vale a pena dar atenção à ambos!

Pense em enviar emails informativos de tempos em tempos (as chamadas newsletters, mailing, ou email marketing), telefonar em datas importantes, mandar cartas de fim de ano, enfim, todos esses meios de comunicação são válidos.

Parece algo pequeno, mas ao mostrá-los que você lembrou deles no Natal, no aniversário e em outras datas, você pode criar um vínculo de relacionamento mais próximo. E tenha certeza de que ele vai lembrar de sua empresa da próxima vez que for comprar algo.

Ofereça produtos complementares

Sua empresa oferece produtos de informática e da outra vez, o cliente adquiriu um série de notebooks para o escritório dele? Ok, será que dessa vez ele não poderia se interessar em novas impressoras?

Agora você já tem os dados para contato e pode enviar o email / telefonar informando sobre as novas impressoras econômicas que acabaram de chegar.

Ou se sua empresa trabalha com serviços, organiza eventos e treinamentos corporativos e seu cliente participou de um treinamento sobre liderança, vendas, enfim…

Agora, você irá ministrar um outro treinamento que fala sobre o mesmo tema. Será que ele não tem interesse em participar também? Essa é a chance de entrar em contato.

Mantenha uma agenda de contatos

O cliente adquiriu os produtos ou serviços de sua empresa para resolver um problema, uma necessidade específica dele. Se ele fez isso, você foi o fornecedor mais qualificado para resolver essas questões que ele precisava.

Então porque não manter o contato?

Cliente gosta de relacionamento! Aliás, ele te dá a oportunidade de se relacionar com ele, quando te passa os dados para contato.

Com essa oportunidade em mãos, mantenha o relacionamento. Ligue perguntando se o treinamento foi interessante, se o produto que ele adquiriu serviu para as necessidades, se o serviço que você ofereceu foi satisfatório…

Faça isso com frequência. Tenha uma agenda para marcar as melhores datas para entrar em contato.

Mas pense em resolver os problemas que ele enfrenta! Deixe de lado todo discurso sobre como seu produto é bom / inovador / tem ótimo custo x benefício / etc… O foco é solucionar as questões do cliente!

São ações simples que trazem um grande diferencial à sua empresa. Relacionamento com clientes é o diferencial que as pequenas têm em relação às grandes!

 

8 DICAS ESSENCIAIS PARA SE TORNAR UM EMPREENDEDOR DE SUCESSO

Você está pensando em transformar o seu sonho de ter seu próprio negócio em realidade? Veja 8 dicas essenciais para o seu SUCESSO como empreendedor!

1. Busque conhecimento para ser um bom empreendedor

Um bom empreendedor precisa estar por dentro de tudo que acontece no seu segmento.

Como você pode fazer isso?

Estudando o seu mercado. Converse com clientes, fornecedores e concorrentes. Leia publicações e livros sobre negócios, visite empresas e feiras do seu setor, e se for possível, consulte um especialista. O conhecimento sobre o seu negócio te ajudará a analisar melhor os riscos envolvidos e tomar as melhores decisões.

2. Use ferramentas que facilitam seus processos

Fazer uma gestão bem feita do seu negócio requer tempo e dedicação. Você precisa de organização redobrada, principalmente no início, quando, na maioria das vezes, é o próprio empreendedor o responsável por administrar várias áreas: financeiro, RH, compras e comercial.

O planejamento do seu tempo é essencial e você pode usar a tecnologia a seu favor. Não perca tempo conferindo extratos bancários, recebimentos de cartões, muito menos elaborando planilhas de controle. Você pode contar com sistemas integrados em nuvem que fazem isso para você de forma rápida, eficiente e ainda possibilita você gerenciar o seu negócio de onde você estiver.

Otimize seu tempo e modernize seus processos.

3. Saia da informalidade

Muitas vezes, quem está começando fica tentado em iniciar suas atividades de maneira informal para fugir dos impostos. Mas isso pode ser um empecilho para o crescimento. Se a sua empresa não for registrada, fica impossível emitir notas fiscais, criar contas bancárias, obter máquinas de cartão de crédito ou solicitar algum tipo de financiamento, se for necessário. O melhor de começar é da forma correta, sem atalhos.

4. Inove

Os clientes estão cada vez mais exigentes, é preciso surpreendê-los. E só criatividade não basta! Um empreendedor precisa transformar suas ideias criativas em uma proposta de geração de valor ao seu cliente e ao mesmo tempo em uma oportunidade de negócio rentável. Antes de tudo, você precisa conhecer os seus concorrentes e o que eles oferecem. É possível entrar no mercado sem oferecer um diferencial, mas ter vantagem competitiva fica bem mais difícil.

5. Conheça seus clientes

Conhecer o estilo de vida, o comportamento e as rotinas do público que você quer atingir te dará maior possibilidade de obter sucesso. Com essas informações ficará mais fácil oferecer produtos específicos ou um atendimento personalizado, trazendo um grande diferencial o seu negócio.

6. Organize suas finanças

Lidar com dinheiro não é fácil, principalmente quando temos as finanças pessoais e da empresa para administrar. Um dos erros mais comuns dos empreendedores iniciantes é usar o dinheiro da empresa para pagar suas contas, ou vice-versa. Isso pode trazer consequências desastrosas!

Em algum momento, você não conseguirá mais distinguir se o seu negócio está indo bem ou se seus gastos pessoais estão de acordo com a sua situação atual. O ideal é definir um valor de retirada mensal, que chamamos de pró-labore, e o restante do lucro ser investido no crescimento da empresa.

Um outro ponto importante é manter o controle financeiro, principalmente das entradas e saídas do seu caixa, inclusive projetando os períodos futuros. Chamamos isso de Fluxo de Caixa e é dessa forma que você pode antecipar o saldo da sua loja em datas futuras para tomar as decisões certas e evitar que a sua empresa fique no vermelho.

Existem softwares de gestão que podem te ajudar a ter o total controle financeiro, e assim te dar a possibilidade de planejar o crescimento saudável do negócio.

7. Controle seu estoque

O gerenciamento de estoque também é um dos pontos fundamentais para o sucesso de um negócio. Você precisa atender a demanda dos seus clientes com os produtos disponíveis na loja, sem manter o estoques excessivos, pois isso é dinheiro parado. Por este motivo, é importante saber exatamente a quantidade de cada item disponível para direcionar as suas compras e o seu esforço de venda.

8. Defina o valor do seu produto de forma consciente

Alguns empreendedores vendem bem, mas não veem o dinheiro entrar. Isso porque não levam em consideração todos os fatores que compõem o custo do produto como o frete e os impostos na hora de aplicar suas margens de lucro e definir o preço das mercadorias.

Existem técnicas para não errar nessa hora, mas você também pode contar com software de gestão que analisa internamente todas as variáveis e sugerem o melhor preço para cada produto. Ao definir os preços de seus produtos, considere questões como o que é valor para os clientes, assim como a concorrência, mas nunca deixe de calcular os custos.

Quer continuar acompanhando os posts aqui do blog? Então, aproveite e assine nossa newsletter agora mesmo e fique por dentro das novidades! Basta fazer o seu cadastro aqui embaixo!

Descubra as vantagens de se utilizar o TEF

Você já se perguntou alguma vez como funcionam as máquinas de cartão dos estabelecimentos comerciais? Como uma empresa recebe o dinheiro de todas as vendas mensais realizadas?

Primeiramente, o correto não seria chamar de “maquininhas de cartão”, porque por mais que visualmente estas máquinas sejam todas parecidas, existem diferenças drásticas por trás do  sistema de funcionamento de cada uma delas.

Por exemplo, existe o TEF (Transferência Eletrônica de Fundos) e existe o POS (Point of Sale), ambos possuem modalidades, normas, limites e mensalidades, mas as vantagens que o TEF oferece em relação ao POS são evidentemente significativas.

Como funciona o TEF?

É comum que as pessoas não saibam a diferença entre TEF e POS, pois para elas o que conta é a pinpad (a maquininha de cartão). O TEF é um sistema que faz a captação de todas as transações financeiras realizadas no pinpad e através da internet as envia para a rede adquirente para que sejam computadas.

O software instalado no computador do estabelecimento comercial juntamente aos pinpads conectados aos caixas concretizam as vendas, mas é o TEF que faz a conexão entre o sistema do banco ou financeira do cartão e a conta do estabelecimento.

Principais vantagens do TEF

Aceita grande variedade de bandeiras

O TEF tem a vantagem de trabalhar com uma vasta variedade de bandeiras, fator que faz com que haja uma abrangência maior de consumidores. Perder vendas porque o estabelecimento não aceita uma determinada bandeira de cartão, nunca mais.

É economicamente mais viável

No POS, normalmente é necessário pagar uma mensalidade para cada máquina no estabelecimento além de uma taxa previamente negociada por cada transação realizada, no TEF a mensalidade é inexistente.

Mais segurança e agilidade ao estabelecimento

As vendas podem ser realizadas de forma mais rápida e descomplicada. Como o pinpad esta conectado ao software que efetua a venda, os dados da venda não precisam ser informados novamente, o que torna o processo mais agil e seguro, não dando margem para erros operacionais.

Gestão financeira organizada

Com o TEF, independente de quantos pinpads estejam operando diariamente em sua empresa, todas as transações serão registradas em um mesmo sistema, o que evita que aconteçam falhas na contabilidade.
Diferente do modelo POS, onde as maquinas são mono-adquirentes e é necessário somar todas as notas de cada máquina para efetuar o fechamento do caixa.

Entenda a importância da variedade do mix de produtos para sua loja

Oferecer o que o cliente procura é um dos grandes desafios de qualquer lojista. É ao ter o produto necessário para o momento do seu cliente que você consegue convencê-lo a comprar. Nesse sentido, apostar em uma boa variedade conta pontos a favor do negócio.

Além de favorecer o relacionamento com o cliente, uma diversificação no mix de produtos também ajuda a empresa a faturar mais. Pensando nisso, veja a seguir a importância dessa variedade de oferta e descubra como colocá-la em prática.

Por que diversificar o mix de produtos para sua loja?

Quando um cliente chega ao seu negócio, ele quer ter opções de produtos para comprar. Se ele ficar restrito a apenas um tipo de compra, pode ser que desista de adquirir: afinal, poderá sentir que os produtos não atendem às suas necessidades.

Ainda, quanto mais limitado é o seu mix de produtos, menor é o seu alcance. Isso porque não existe nada que seja uma unanimidade entre as pessoas, tampouco um determinado produto. Mesmo dentro de um nicho, os gostos e necessidades variam.

Com um mix adequado, por outro lado, você consegue atingir mais pessoas, porque oferece o que elas estão procurando. É como um jogo de probabilidades: quanto mais oferta há, maiores são as chances de agradar.

Uma boa variedade também é importante porque pode melhorar as métricas do seu negócio. Ou seja, com mais oferta, os clientes podem ficar mais tentados a escolher e, consequentemente, a comprar mais. O resultado vem em forma de aumento do ticket médio e do faturamento de maneira geral.

Mas como melhorar a variedade do mix de produtos para sua loja?

Embora ter uma boa oferta de produtos seja importante, é ainda mais fundamental que isso seja feito da maneira correta — afinal, oferecer produtos demais e que não sejam adequados pode gerar o efeito reverso. Para colocar essa estratégia em prática, considere as dicas a seguir.

Conheça as necessidades dos consumidores

Não adianta aumentar o mix de produtos, se isso significar coisas que o seu público não procura. Em vez de estimular as vendas e o relacionamento, isso só vai fazer com que os clientes sintam que o seu negócio não serve para eles.

Por isso, entenda muito bem quais são as necessidades dos seus consumidores. O que eles desejam? Por que eles precisam de determinado item? Como um produto pode melhorar a vida deles?

A partir da resposta para essas questões, vai ficar mais fácil compreender o que deve ser oferecido.

Trabalhe com fornecedores confiáveis

Para que tudo saia como o esperado, o relacionamento com fornecedores também deve ser adequado.

Ao escolher fornecedores confiáveis, você atesta a boa qualidade dos produtos, além de garantir um abastecimento correto, pois de nada adianta oferecer produtos e não tê-los em estoque.

Além disso, fornecedores confiáveis estimulam a relação em médio e longo prazos, o que favorece a conquista de flexibilidade de maneira contínua.

Evite exageros

Tudo bem, é importante ter uma boa oferta de produtos, mas exagerar na quantidade faz a sua empresa perder dinheiro. Para que isso não aconteça, tome cuidado com o dimensionamento.

Em vez de triplicar a quantidade de produtos ofertados de uma só vez, faça grupos de adições menores, medindo e acompanhando os resultados. Conforme a resposta do seu público, você pode considerar um aumento da sua oferta e até mesmo renovar o seu estoque.

Por fim, saiba que a variedade do mix de produtos é importante para sua loja, pois essa medida pode gerar mais vendas, satisfação e também faturamento. E para que tudo isso seja possível, siga as boas dicas de hoje: conheça as necessidades do seu público, escolha bons fornecedores e aja sem exageros.

Gostou do nosso conteúdo? Então, para melhorar ainda mais os resultados da sua loja, assine a nossa newsletter e receba nossos conteúdos diretamente no seu e-mail!